In MODA on
6 de outubro de 2017

DESIGN DE MODA E O ENSINO SUPERIOR

A efemeridade presente em todos os aspectos sociais do desenvolvimento humano fez com que a as transformações ocorridas a partir do século XIX fossem muito mais contrastantes, ocorrendo em ciclos mais vertiginosos que nos séculos anteriores.  Podemos aqui “apontar” a Revolução Industrial e todo arsenal de consumo, de produção, de necessidades e de aparência que se somou às sociedades a partir dela, como um marco no quesito do efêmero contemporâneo.


Como função primordial e básica o designer indiferente de sua especialidade (industrial, gráfico, interfaces, interiores, moda…) atenta para melhorias de produtos já existentes ou para a proposição de novos produtos no mercado, trazendo soluções, pesquisando novas tecnologias, buscando materiais alternativos e influenciando diretamente no comportamento da sociedade como um todo.

No Brasil a aproximação das áreas do Design e da Moda foi impulsionada em primeiro momento com exclusividade nos ambientes acadêmicos, nascendo tardiamente no fim da década de 80 a primeira faculdade de Desenho de Moda, o que conduziu muito tempo o pensamento de que desenvolver moda era uma atividade livre de formação acadêmica e que poderia ser praticada por qualquer pessoa que tivesse aptidão para artes, criatividade e bom gosto.

Quando o estudante faz a escolha por uma carreira acadêmica em Design de Moda nem sempre esta claro que o artifício de desenvolvimento de moda não pode estar desassociado de métodos, técnicas e processos reflexivos e que a ação criativa não aparece de modo repentino. Este pensamento imaturo é alimentado principalmente pelos grandes desfiles, semanas de Moda e pela mídia que os divulga sem mostrar o real procedimento de criação das coleções. Sem abarcar todo conhecimento técnico, teórico e de pesquisa que se faz necessário para desenvolver o processo de criatividade e de desenvolvimento de produto.

A Moda se consolida e abrange outros aspectos para além da criatividade, para além do desenho, para além da costura. Ao se apropriar dos conceitos básicos do Design a Moda deixa de ser compreendida como um fenômeno meramente ligado às questões de vestuário e tendências. Ela passa a ser, citando aqui uma passagem da excelente publicação Design de moda – olhares diversos, um forte indicativo da sociedade em que ela está inserida, uma vez que pode também ser entendida como “produto do contexto particular de cada época e de um lugar determinado”.

O princípio base adquirido do Design para alia-lo a Moda é sem dúvida a metodologia projetual que estrutura e direciona o processo de criação do produto para o processo de desenvolvimento de produto, partindo da lapidação e aprimoramento de uma ideia para a prática efetiva do design.

A partir desta identificação o designer vai fazer uso das diretrizes propostas pela metodologia qual mais se aplica à sua ideia e realidade, identificando problemas, criando protótipos, prevendo erros, gerando e reestruturando alternativas. Por isso mesmo que o designer não desenvolve de maneira independente sua ideia criativa, é necessário que conheça os processos e esteja a par do funcionamento de todo o ciclo do produto, desde sua concepção até que ele se torne obsoleto. Pesquisas de tendências e de comportamento do público alvo, gestão e custos, comunicação, marketing, metodologia visual, tecnologia de materiais e têxtil, modelagem, metodologia de produto e semiótica são só alguns dos aportes que o designer precisa conhecer e saber aplicar quando necessário.

A moda ao longo dos séculos foi e continua sendo um fenômeno relevante para a compreensão e solução de problemas relacionados à estrutura social, intrínsecos ao emocional, anseios pessoais e uma forma de comunicação não verbal, tornando-se um mecanismo de confluência entre o produto e o usuário.

Estudar Design de Moda no cenário atual do auge do desenvolvimento tecnológico, da globalização, das preocupações ambientais, do esgotamento das reservas naturais e das inquietações particulares e sociais é ir além da estética através do olhar da indumentária.

Estudar design de Moda é projetar soluções sustentáveis, compreender os processos sociais e promover a aceitação do outro através da clara influência que a moda possui em moldar comportamentos e formar identidades. Não basta ser criativo, é preciso ser proativo para fazer a diferença e se destacar no mercado. O mais do mesmo não é suficiente para uma carreira de sucesso. Para tanto, a receita é simples: doses diárias e elevadas de autenticidade.

Previous Post Next Post

1 Comment

  • A MODA SEM GÊNERO | Lookbyjorjao

    […] Design de Moda e o Ensino Superior […]

    27 de outubro de 2017 at 20:00 Reply
  • Leave a Reply

    Veja também